29 de dez de 2010

Dominguinhos - Festa no sertão

Ótimo disco do início da carreira de Dominguinhos, inteiro com música instrumental. Infelizmente não consegui a ficha técnica do disco, mas presta atenção no zabumbeiro que ele estava inspiradíssimo.

Créditos para o ótimo blog Forró em Vinil.

Destaque para "Festa no sertão" - uma música que, apesar da relativa simplicidade, para mim transmite muito o espírito do forró - e "Forró da pesada".
Domiguinhos - Festa no sertão
1973
01. Baião mimoso (Dominguinhos – Anastácia)
02. Esse é o forró (Dominguinhos – Anastácia)
03. Forró da pesada (Dominguinhos – Anastácia)
04. Toque esta outra vez (Dominguinhos – Anastácia)
05. Você queria tá ai (Dominguinhos – Anastácia)
06. Enigmático (Altamiro Carrilho)
07. Forró em Petrolina (Dominguinhos – Anastácia)
08. Essa é boa (Dominguinhos – Anastácia)
09. Amor estou voltando (Dominguinhos – Anastácia)
10. Festa no sertão (Dominguinhos – Anastácia)
11. Minha decisão (Dominguinhos – Anastácia)
12. Homenagem a Pixinguinha (Dominguinhos – Anastácia)

Para fazer o download desse disco, clique aqui.

27 de dez de 2010

Dominguinhos - O forró é nosso

Disco do começo da carreira de Dominguinhos, todo instrumental e com um regional do jeito que eu gosto no acompanhamento!

Créditos para o blog Forró em Vinil.(ACESSE AQUI)

Destaque para "Arrastando as Alpargatas", de Dominguinhos e Anastácia, e os choros "Perigoso" e "Doce de Coco", muito bem interpretados pelo mestre.
Dominguinhos – O forró é nosso
1973
01. Forró da pesada (Dominguinhos / Anastácia)
02. Triunfo (Dominguinhos / Anastácia)
03. Perigoso (Orlando Silveira / Esmeraldino Sales)
04. Paulo Afonso (Luiz Gonzaga / Zé Dantas)
05. Forró da caiçara (Manoel Sobrinho)
06. Arrastando as alpargatas (Dominguinhos / Anastácia)
07. Forró em Petrolina (Dominguinhos / Anastácia)
08. Doce de coco (Jacob do Bandolim)
09. Juazeiro (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira)
10. Pagode russo (Luiz Gonzaga)
11. Palmeira dos Índios (Dominguinhos / Anastácia)
12. Frevo em Olinda (Dominguinhos)

Para fazer o download esse disco, clique aqui.

24 de dez de 2010

Dominguinhos - Simplicidade

Já que o Zabumblog vai pegar umas férias de fim de ano, vou deixar umas postagens no jeito pra vocês.

Pra quem está atrás de conhecer mais sobre forró pé-de-serra, ou mesmo pra quem já conhece, hoje trago um ótimo disco do mestre Dominguinhos.
Depois vou postar mais alguns, já que acredito que ouvir muita música faz parte do estudo da zabumba também! 

Créditos para o blog Abracadabra - LPs do Brasil.

Destaque para "Seja como flor", de Dominguinhos e Gonzaguinha, o clássico "Riso cristalino", de Climério e Dominguinhos, a linda "Saudade imprudente", de José Marcolino, e "Guadá e Liv no forró", um forró de primeiríssima, fruto da parceria de Guadalupe e Dominguinhos.

Simplicidade
1982
01 - Seja como flor (Dominguinhos - Gonzaguinha)
02 - Estrelas somos nós (Alceu Valença - Dominguinhos)
03 - Depois da derradeira (Fausto Nilo - Dominguinhos)
04 - Caso descarado (Clodô - Dominguinhos)
05 - Pé de boi (Guadalupe - Dominguinhos)
06 - Briga à toa (João Silva - Guadalupe)
07 - Riso cristalino (Climério - Dominguinhos)
08 - Gotas de prata (Guadalupe - Dominguinhos)
09 - Para boi dormir (Clodô - Dominguinhos)
10 - Voz do vento (Clésio - Dominguinhos)
11 - Guadá e Lio no forró (Guadalupe - Dominguinhos)
12 - Saudade imprudente (José Marcolino)
13 - Forró em Ribeirão (Guadalupe - Dominguinhos)

Para fazer o download desse disco, clique aqui.

BOAS FESTAS!!

Bom gente, vamos dar aquela paradinha pra respirar um pouco e receber 2011 cheios de energia positiva! Boas festas, uma ótima passagem de ano, muita saúde e paz a todos!!
Independente dos símbolos capitalistas associados ao natal, acredito sim que o fim de um ano é o fim de um ciclo, assim como a vida é feita de ciclos. É tempo de rever seus objetivos, rever seus amigos, abraçar a quem você gosta, dizer ao seu próximo o quanto ele é importante pra você...esse é o verdadeiro presente - ao meu ver...aliás, deveríamos fazer isso o ano todo, mas, se não o fizermos, o fim de um ano é uma boa hora pra refletir e tentar mudar...certo? Eu sei gente, esse discurso é meio clichê, mas tem algumas verdades óbvias que, de tanto ouvirmos, acabamos esquecendo.

Zabumblog volta ano que vem!!!!!!!!

Rolandro Boldrin declama Crônica do Natal Caipira (Aldemar Paiva).

23 de dez de 2010

Rolando Boldrin - Homenagem a Luiz Gonzaga

Grande Rolando Boldrin, por quem tenho profunda admiração, pelo seu trabalho sem igual em favor da valorização da cultura brasileira!
Ele saúda ao Rei do Baião, seu Luiz Gonzaga.

Texto de Aldemar Paiva.
Músicas: Lua (Carlos Gomes), Boiadeiro (Luiz Gonzaga) e Asa Branca (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira).



22 de dez de 2010

Luiz Gonzaga - Programa Conexão Nacional parte 3

Terceira e última parte do Programa Conexão Nacional, exibido na extinta Rede Manchete.
Segundo a fonte do vídeo, o programa não está completo, pois o tempo estragou a fita de vídeo. Mas ainda vale a pena demais!!

21 de dez de 2010

Luiz Gonzaga - Programa Conexão Nacional parte 2

Continuemos no clima de comemoração pelo 13 de dezembro, Aniversário de Gonzagão e Dia Nacional do Forró.

Segunda parte do Programa Conexão Nacional, exibido na extinta Rede Manchete.
Segundo a fonte do vídeo, o programa não está completo, pois o tempo estragou a fita de vídeo. Mas ainda vale a pena demais!!

20 de dez de 2010

Luiz Gonzaga - Programa Conexão Nacional parte 1

Ainda no clima de comemoração pelo 13 de dezembro, Aniversário de Gonzagão e Dia Nacional do Forró, vamos começar esse semana com mais um documentário sobre o velho Lua pra alegrar a nós, os apreciadores do forró e da música brasileira!

Programa Conexão Nacional, exibido na extinta Rede Manchete.
Segundo a fonte do vídeo, o programa não está completo, pois o tempo estragou a fita de vídeo. Mas ainda vale a pena demais!!

17 de dez de 2010

Luiz Gonzaga nos Trapalhões

Luiz Gonzaga fazendo uma pontinha no Programa 'Os Trapalhões', que era exibido na Globo. Bons tempos aqueles....rs

A fonte do vídeo não traz maiores informações sobre.

Causos de Gonzagão

Eita Gonzaga!!

Dia 13 foi o Dia de Gonzagão e o Dia Nacional do Forró, continuemos nossa homenagem!

Acesse: http://www.luizluagonzaga.com.br/


Créditos: http://www.youtube.com/user/josebenjamim

16 de dez de 2010

Mini-Documentário sobre Luiz Gonzaga

Fala gente!

Documentário sobre Luiz Gonzaga! O próprio fala um pouco de seus propósitos, e há também uma declamação sendo interpretada sobre o Mestre Lua.

Infelizmente a fonte não oferece maiores informações sobre o vídeo.

Espero que gostem!

Filme O Homem que Engarrafava Nuvens

Seguindo a proposta dessa semana, mais uma produção homenageando o forró!

Dirigido por Lírio Ferreira, o premiado diretor de Árido Movie, Cartola e Baile Perfumado, esse documentário musical conta a história de Humberto Teixeira, o Doutor do Baião, o compositor por trás de clássicos como Asa Branca, uma das canções mais populares do Brasil.



Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/engarrafanuvens

15 de dez de 2010

Dicas de Afinação de Zabumba


Olá!!!

Muita gente me pede dicas de afinação de zabumba, então preparei um post sobre isso!

Pra começar, vamos esclarecer o seguinte: o zabumba (ou a zabumba) é instrumento presente em diversos núcleos de música regional nordestina, portanto há uma variação grande entre afinação, peles e baquetas usadas. Mas a zabumba se popularizou muito pelo forró pé-de-serra, e é esse olhar do forró pé-de-serra que eu uso pra falar do instrumento.
Então, antes de tudo, é muito importante ouvir quem fez história no forró e na música brasileira. Artistas respeitados como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, Sivuca e Hermeto Pascoal, são, indiscutivelmente e independente de gosto musical, autoridades no assunto e sempre ensinam algo pra vc. Cada vez que vc escuta aprende algo. Nem que seja a mesma música...rs....Comigo sempre funciona assim!
E além de ouvir muita coisa boa, tenho a sorte de ter contato com ótimos zabumbeiros, alguns inclusive já tocaram com grandes nomes do forró e da música regional.
Então todas as informações que tenho e repasso, são baseadas nessa pesquisa e no contato com zabumbeiros muito competentes.
. Partes da Zabumba:

Casco, corpo ou tambor: É o tambor propriamente dito. Dependendo da profundidade e diâmetro, pode variar nos graves e harmônicos produzidos. Na maioria dos casos é de madeira, mas encontramos de metal também. (geralmente zabumbas de metal são chamadas de "bombo").
Aros:
Geralmente de madeira ou metal, os aros seguram as peles ao casco e mantém sua afinação.
Canoas ou tarrachas:
São as peças através das quais afinamos a zabumba. Elas são conectadas ao aro por parafusos, que, apertados ou afrouxados, determinam a pressão da afinação das peles.
Pele superior: É de onde se tira o som mais grave do instrumento, que marca os tempos fortes da música. Essa pele tocamos com uma baqueta de ponta de feltro ou material similar.
Pele inferior: Dessa pele tiramos o som mais agudo, estalado, marcando os contratempos. Usamos para isso uma vareta, que é mais fina e propícia para este som, chamada de "bacalhau".

Acessórios


Pirulito: É a baqueta que usamos pra tocar a pele superior.
Bacalhau: É uma vareta usada pra tocar a pele inferior.
Talabarte ou talabar: É uma correia geralmente de couro ou nylon usada para segurar o instrumento ao corpo do instrumentista.
 

Agora vamos falar mais detalhadamente de alguns itens.

. Casco, corpo ou tambor:



Esse é o elemento principal da zabumba, pois ele sozinho é 90% da zabumba em si...
Vamos falar aqui dos cascos de madeira, são os que tenho maior conhecimento e também porquê os de metal são poucos usados.
Continuando, um tambor bem construído é primordial para o som final da zabumba. É ele que vai determinar os graves, ressonância e  harmônicos do instrumento. A afinação da zabumba tem muitas dicas e detalhezinhos que influenciam bastante, mas se o tambor não for de qualidade, dificilmente você vai conseguir tirar um som satisfatório do seu instrumento.

Medidas mais comuns:
Diâmetro - varia de 16 a 22 polegadas.
Profundidade - varia de 6 a 12 polegadas.

Quanto maior a profundidade do instrumento, mais fácil tirar graves, e quanto maior o diâmetro, maior a quantidade de harmõnicos produzidos.
Quanto à madeira utilizada, quanto mais densa, você vai ter mais harmônicos, mais ataque e o som vai ressoar mais. Madeiras menos densas produzem um som mais controlado, por isso são muito usadas em estúdio.
O Maple (ou plátano) e o Birch (ou bétula) são consideradas as madeiras "perfeitas" por muitos músicos, por produzirem graves mais controlados, harmônicos sutis e afinação clara e precisa. Como exemplos de outras madeiras muito usadas, também temos mogno, bapeva, cedro rosa, copaíba, poplar e tília (basswood).


. Aros
Os aros seguram as peles superior e inferior junto ao caso, e, juntamente com as canoas e parafusos, são as peças que afinam o instrumento.
Os aros de madeira naturalmente já secam um pouco o som, dando uma abafada na pele e segurando os harmônicos. Os de metal já dão um som mais brilhante e aberto. Qual usar? Fica a gosto do músico.



. Canoas ou tarrachas

Prefira as zabumbas com afinação dupla, ou seja, pele superior independente da inferior. Assim, você consegue controlar a afinação das duas bem separadamente, te dando mais possibilidades de som.
A imagem á esquerda traz uma zabumba com afinação simples, vc pode ver que a afinação de uma pele influencia na outra.
Já nessa outra zabumba abaixo, note que o controle de afinação das peles é independente.
 

. Pele superior

Já vi zabumbas com todo tipo de pele, tudo depende do som que vc quer tirar. Existem vários tipos de peles no mercado, cada uma com uma característica predominante. No caso da zabumba, apesar da característica principal da pele influenciar, sempre vamos adicionar algo a mais para abafar um pouco o som, como couro ou corvim, por exemplo. Vamos falar disso depois dos tipos de peles, OK?

Peles filme simples
A maioria dos zabumbeiros que conheço usam pele filme simples, ou seja, que tem uma camada só.. Basicamente, essas se dividem em 'clear' (totalmente transparente), leitosa ou porosa. Essa pele proporciona um som mais aberto, com muita ressonância e harmônicos sobrando. Peles filmes simples podem variar na espessura. As de maior espessura, têm harmônicos mais controlados.

Peles filme duplo
Menos zabumbeiros usam essa pele com duas camadas, mas os que usam produzem alguns dos melhores som que já ouvi. Essas peles podem ser, basicamente, hidráulica, porosa-hidráulica ou simplesmente filme-duplo. São indicadas para quem quer tirar um som mais grave, com menos sobras. Como essa pele é naturalmente mais abafada, acho mais difícil tirar um som legal dela, pois muitas vezes a zabumba pede uma pequena sobra. Mas, como eu já disse, se você conseguir tirar um som satisfatório dessa pele, você não vai se arrepender, pois essas peles dão um "peso" muito singular ao som.

Pele animal
Alguns zabumbeiros do nordeste usam essa pele, mas são provenientes de outros estilos, como coco de roda, por exemplo. Dos zabumbeiros do atual cenário do forró pé-de-serra, nunca vi ninguém usando pele animal na zabumba. Lembrando que essa pele quase não segura afinação, pois sofre a influência muito forte das variações de temperatura.

Dicas para abafar a pele

O que eu mais vejo aqui dos zabumbeiros residentes no sudeste em termos de afinação da pele superior, é um pedaço de napa, corvim ou couro redondo de aproximadamente 15cm de diâmetro colado na pele de cima, bem no meio da pele, com camadas de flanela por baixo da napa (o número de camadas varia, entre 2 e 6 aproximadamente). Na figura abaixo temos o exemplo.

O processo é o seguinte:

Desenhe dois círculos exatamente no meio da pele, um de aproximadamente 15cm e outro de 10cm (o tamanho ideal depende de cada zabumbeiro). Corte de 2 a 6 pedaços de flanela (veja quantos vc prefere usar) exatamente do tamanho do círculo menor e um pedaço de corvim do tamanho do círculo maior.
Passe cola de contato (Cascola) no espaço que fica entre os dois círculos (espeço em verde na figura) e no corvim, e espere secar bem. Depois que a cola estiver seca, ajeite as flanelas no meio da pele (sem cola mesmo, as flanelas vão soltas) e cole por cima o corvim. Cuidado ao colar, pois uma vez que a cola de contato gruda, é bem difícil de soltar.
Esse é o método mais usado pra abafar a pele superior, mas existem outros. Muitos zabumbeiros ao invés de cortar a flanela em círculos, preferem picá-la em pedacinhos e colocar por baixo do corvim; outros ao invés de flanela, usam espuma.
No lugar do corvim alguns usam fita adesiva, tipo silver-tape, outros usam emplastro sabiá. Cada material vai dar um som...
Não se prenda às regras....ACHE O SEU SOM PRÓPRIO!!

. Pele inferior
Geralmente usa-se uma pele filme simples, pois aqui precisamos tirar um som mais agudo. Como as peles filme simples deixam sobrar mais harmônicos, que muitas vezes "sujam" o som, é necessária uma grande atenção com essa pele ao afinar a zabumba. Dá pra tirar uma parte dos harmônicos abafando, mas o grande lance está na afinação.
Quanto mais apertada a pele de baixo, mais seco o som da pele superior. Como a zabumba pede som mais "gordo" e uma certa sobra, não podemos apertar muito a pele inferior. Mas se deixarmos muito solta, o som do bacalhau fica muito grave. O segredo é achar esse meio termo. COMO?
Testando muitas e muitas afinações!!! MÃOS A OBRA!

Dicas para abafar a pele:

Uma das opções é colar alguns pedaços de fita crepe do lado de fora da pele, para atenuar a vibração da pele e diminuir a emissão de harmônicos.


 Outra opção é colar um pedaço de corvim do lado de fora da pele, com cola de contato, como na figura abaixo.

  

Outros ainda preferem um pedaço de flanela preso por dentro da pele. Você deve colocar a flanela presa entre a pele e o casco, quando estiver montando e afinando a zabumba.

. Baquetas

Temos duas baquetas usadas na zabumba: os nomes populares são "pirulito" (a de cima) e bacalhau (pele inferior).

Pirulito
O pirulito é uma baqueta de aproximadamente 20cm com um feltro na ponta.
Muitos costumam usar uma baqueta de tímpano (instrumento de percussão erudita), pra mim é o som ideal. Corto ela pra ficar na medida ideal e está pronta pra uso! E é bem fácil de achar em lojas de instrumentos musicais. Detalhe importante: procure as baquetas de tímpano com a ponta totalmente arredondada. Algumas tem a ponta em formato cilíndrico, o que não dá um som muito legal pra zabumba.


Outras opções de pirulito podem ser feitas artesanalmente. Se vc pegar um feltro daqueles usados pra amortecer pratos de bateria (vc acha em qualquer loja de instrumentos), colar na ponta de uma baqueta e enrolar com uma flanela,pra ficar mais resistente e duro, está feita sua baqueta!
É interessante que o feltro não seja nem muito mole nem muito rígido, pois você precisa tirar um som "aveludado", mas também precisa de um certo "quique" pra definir o som. Eu costumo pensar no som da zabumba como um bumbo de bateria, porém um pouco menos agressivo e com uma pequena sobra que deixe a nota aberta "cantar".

Bacalhau

Sobre o bacalhau (vareta), eu recomendo uma varinha de bambu, de aproximadamente 25 ou 30cm, não mais que isso. A grossura é um pouco mais do que uma vareta de pipa. Eu uso o bacalhau curto pois me dá controle total das notas. Tem gente que usa bacalhau de 40cm, até mais.
Também existe a opção do bacalhau de plástico, q é bastante usado. Pra fazer o bacalhau de plástico vc pode pegar uma baqueta de tamborim e cortar as "pernas" deixando apenas uma, que vc vai usar como bacalhau.
O melhor jeito de achar o ideal pra você é testar, tocar, testar, tocar.....muitas vezes!!!

Espero que tenham gostado!!!!!
TÉ+!!!!!!

Gonzagão e Gonzaguinha – Juntos

Fala povo!

Mais um disco pra vcs! Créditos para o site Forró em Vinil, dos DJ Ivan e DJ Tick, grandes conhecedores e disseminadores da cultura nordestina.

Adoro esse disco, que junta composições em parceria de Gonzagão e Gonzaguinha, e outras só de Gonzaguinha que Luiz Gonzaga gravou. Também tem a música "A Triste Partida", de Patativa do Assaré, linda música. Pode escutar de "cabo a rabo", vale a pena.



Gonzagão e Gonzaguinha – Juntos
1991 – RCA

01. A vida do viajante (Luiz Gonzaga – Hervê Clodovil)
02. Mariana (Gonzaguinha – Gonzagão)
03. From United States of Piauí (Gonzaguinha)
04. Não vendo, nem troco (Gonzagão – Gonzaguinha)
05. Eu e minha branca (Gonzaguinha – Gonzagão)
06. Diz que vai virar (Gonzaguinha)
07. A triste partida (Patativa do Assaré)
08. Pense n’eu (Gonzaguinha)
09. Pobreza por pobreza (Gonzaguinha)
10. Lembrança de primavera (Gonzaguinha)
11. Erva Rasteira (Gonzaguinha)
12. Festa (Gonzaguinha)


Para fazer o download desse disco, clique aqui.

Filme Paraíba Meu Amor

Fala povo!!

13 de dezembro foi o Dia Nacional do Forró, então essa semana quero juntar aqui algumas produções relacionadas a esse nosso ritmo cheio de histórias.


Hoje é a vez do filme "Paraíba, Meu Amor".

"A Europa descobre o forró. Em uma sala lotada na cidade alemã de Karlsruhe, o filme Paraíba, Meu Amor teve estréia mundial em fevereiro de 2008, numa iniciativa que os organizadores e músicos esperavam representar o início de uma campanha pela promoção do forró no exterior. Em julho, um dos maiores festivais de jazz do mundo, o de Montreux, dedicou todo um dia de sua programação para o forró, algo inédito nos mais de 40 anos do evento.

O documentário sobre a história do forró foi produzido pelo diretor suíço Bernand Robert-Charrue, que confessa não entender como o ritmo até hoje não foi descoberto pelo público europeu. 'Descobri o ritmo em um bar na Suíça. Fui perguntar aos músicos do que se tratava e descobri que muitos, na Europa, não tinham idéia do que era o forró', explica o diretor. No Brasil, o filme teve a sua estréia em março e a avant-première aconteceu em Campina Grande."
Leia mais: http://linkselinksnet.blogspot.com/2009/06/documentario-paraiba-meu-amor.html



Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/RosimarCCunha

14 de dez de 2010

Filme Patativa do Assaré - Ave Poesia

Mais uma produção valorizando nossa música!

Trailer oficial do filme "Patativa do Assaré - Ave Poesia" de Rosemberg Cariry.
Leia mais: http://patativaofilme.blogspot.com/



Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/patativaofilme

Entrevista:
Patativa do Assaré entrevistado por Jackson Bantim (Bola) em Assaré Ceará

Créditos: http://www.youtube.com/user/ZecaZines

13 de dez de 2010

Luiz Gonzaga - Forrobodó Cigano

Fala povo!!

Como essa semana é especial para os forrozeiros, pois hoje é Aniversário de Luiz Gonzaga e Dia Nacional do Forró, vou postar alguns discos do Rei do Baião pra vcs.
Créditos para o blog Forró em Vinil. Visitem esse blog, vale a pena!

Hoje um disco inteiro instrumental de Gonzagão, sendo que é legal observar que ele só gravou discos instrumentais assim bem no comecinho da carreira, e esse disco é de 1989, que já é bem no fim da sua vida.


Luiz Gonzaga – Forrobodó cigano

1989 – Copacabana
01. Forrobodó cigano (Luiz Gonzaga)
02. Oi o freio (João Silva – Luiz Gonzaga)
03. Arrasta-frevo (João Silva – Luiz Gonzaga)
04. Depois da festa (João Silva – Luiz Gonzaga)
05. Xaxá mulher (João Silva – Luiz Gonzaga)
06. Do jeito que vocês gostam (João Silva – Luiz Gonzaga)
07. Ao Mestre Capiba (João Silva – Luiz Gonzaga)
08. Forró apracatado (João Silva – Luiz Gonzaga)
09. Festa na roça (Mario Zan – Palmeira)
10. Meus dezoito anos (João Silva – Luiz Gonzaga)
11. Tá ruço (João Silva – Luiz Gonzaga – Zé Mocó)
12. Manhã de junho (João Silva – Luiz Gonzaga)
13. Baile na roça (Tinoco – Nadir)

Para fazer o download desse disco, clique aqui.

Filme O Milagre de Santa Luzia

13 de dezembro!!

Hoje Luiz Gonzaga faria aniversário...faria não, faz! A música que ele nos deixou reforça sua presença! Viva o Dia Nacional do Forró!

Em homenagem a este dia tão brasileiro, trechos do Filme o Milagre de Santa Luzia.

Informações sobre o filme: http://www.omilagredesantaluzia.com.br/








Créditos dos vídeos acima: http://www.youtube.com/user/MilagredeStaLuzia

Matéria sobre o filme exibida na TV Cultura:


Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/radarcultura

10 de dez de 2010

Pandeiro Repique Duo

Bernardo Aguiar e Gabriel Policarpo são o Pandeiro Repique Duo.

Nem vou falar muito. O som fala por si próprio!!


Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/Bernardoreco

8 de dez de 2010

Bernardo Aguiar no pandeiro

Oi povo!!

Bernardo Aguiar começou a acompanhar Carlos Malta e Pife Muderno em 2002, mas tem um currículo impressionante ao lado de outros artistas.

Nesse vídeo ele tem 17 anos.

Um pouco mais sobre Bernardo:
"Bernardo Aguiar nasceu em 1984 no Rio de Janeiro e aos 9 anos de idade passou a frequentar a bateria da Escola de Samba Unidos do Santa Marta, mas foi no ano de 1997 que de fato começou a sua carreira profissional ao ingressar na Orquestra de Pandeiros Pandemonium na qual permaneceu até o ano de 2001. Durante esse período, o grupo fez shows ao lado de cantores como Nelson Sargento, Wilson Moreira, João Nogueira e Elza Soares, e participou do Prêmio Sharp de 1998 em homenagem a Jackson do Pandeiro e do Percpan de 2000. Em 2002 passou a integrar o grupo Pife Muderno liderado pelo soprista Carlos Malta, se apresentando na Alemanha, e na University of Florida nos EUA, local onde também ministrou cursos de pandeiro. Em 2006 se apresentou no Rhythmical Music Conservatory na Dinamarca, país onde retornou em Julho de 2007 convidado para tocar ao lado de músicos europeus na edição de 2007 do Copenhagen Jazz Festival. Nesse mesmo ano se apresentou ao lado do bandolinista Hamilton de Holanda no projeto “Manisfesto Brasilianos”, que propõem o encontro de músicos da nova geração em destaque. Recentemente gravou o cd e o dvd Acústico do grupo O Rappa e acompanhou a cantora Kátia B no Festival de las Culturas del Mundo Ollin Kan, na Cidade do México. Gravou o disco Casa de Villa do violonista e compositor Guinga e realizou shows na Ásia em duo com o violonista Zé Paulo Becker"


Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/pandeirocom

6 de dez de 2010

Scott Feiner & Pandeiro Jazz

Olá, olá!!

Sempre naquela ideia de mostrar novas abordagens, trago hoje o pandeirista norte-americano (!) Scott Feiner, colocando o pandeiro no jazz.

Um pouco sobre Scott:
"Natural de Nova Iorque, formou-se em música (Jazz Studies/Guitar) pela Hartt School of Music de Hartford, Connecticut, onde estudou história do jazz com o lendário saxofonista Jackie McLean. De volta a Nova Iorque em 1990, passou a ser reconhecido na cena jazzística por seu suingue e fraseado lírico. Durante aquela época, Feiner tocou com os melhores jovens jazzistas nova-iorquinos. Gravou dois CDs como guitarrista: Under the Influence, com o organista Larry Goldings e Feiner’s Keepers, com o saxofonista Joel Frahm."
Leia mais: http://www.scottfeiner.com/


Música: 7 na Ciranda (Scott Feiner)

Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/portalsescsp

4 de dez de 2010

Pernambuco do Pandeiro 3

Já que tocamos no assunto na última postagem, vai mais um do Pernambuco do Pandeiro, um dos fundadores do Clube do Choro de Brasília.
Cheio de graça e explorando várias possibilidades do pandeiro!

Infelizmente não tenho o nome dos outros músicos.


Olha o suingue!


Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/guialink

2 de dez de 2010

Pernambuco do Pandeiro 2

Opa!

Um pequeno solo do Pernambuco do Pandeiro, com 86 anos e cheio de vitalidade!! Olha o detalhe atrás do Pernambuco, Hamilton de Holanda e Hermeto Pascoal trocando uma ideia.....hehehe

Detalhe interessante é como ele toca pandeiro com os dedos...já ouvi muita gente das antigas falando que grandes pandeiristas usavam uma técnica parecida com essa. Hoje em dia quase não vejo ninguém usando uma técnica assim.

Inté!

 
Créditos deste vídeo: http://www.youtube.com/user/sergiolleo